O Abandono e desleixo com o patrimônio público desde prédios até os veículos usados pelos funcionários são visíveis em Comendador Levy Gasparian, a atual administração pública pouco se preocupa em manter os bens adquiridos através de doações “Estadual ou Federal” e muito menos aqueles que foram comprados com o dinheiro dos impostos pagos pelos cidadãos gasparienses.

Um dos tantos exemplos é a péssima condição da caminhonete Saveiro, que é usada pelos funcionários da Secretaria de Obras, a mesma trafega com o seu para-choque amarrado com arame, com a placa traseira pendurada, com as borrachas do para-brisa solta, além de outros problemas, relatados por alguns funcionários que se dizem preocupados, mas que infelizmente precisam andar em cima da caçamba ou dentro para irem trabalhar e buscar o sustento de suas famílias, lembrando que carregar pessoas em cima da caçamba é uma prática irregular.

Agora para piorar, flagramos vários veículos apodrecendo no pátio do posto Ipirangão em Três Rios, este triste fato nos traz dois questionamentos graves, o primeiro é a falta de compromisso da atual administração como citamos acima, isto é fato, o segundo, é até mais preocupante, o porquê destes veículos estarem abandonados em outra cidade, se em Levy Gasparian há espaço suficiente para deixá-los guardados? Será que eles terão o mesmo destino de outros veículos que simplesmente desapareceram?

Enquanto Afonso Arinos e em Monte Serrat imploram para ter uma ambulância que fiquem a disposição para o atendimento da população destes dois bairros, lá no Ipirangão há duas abandonadas ao relento e debaixo de sol e chuva, alguma coisa precisa ser feito para evitar que o abismo engula mais bens públicos, “é muito triste ver que veículos que poderiam estar atendendo a população, estão apodrecendo e o pior, alguns destes veículos simplesmente terão suas peças retiradas, pois isto acontece dentro do pátio da prefeitura onde há câmeras e guardas, imagine fora”, afirmou alguns funcionários que pediram para não terem suas identidades revelada.

Estes mesmos funcionários se perguntam, qual atitude a Câmara de Vereadores tomaram diante deste fato, ou se manterá em silêncio como vem acontecendo há anos em nossa cidade.