Por volta das 12h15 desta quarta-feira (05), o ônibus escola municipal que transporta os alunos do Colégio Municipalizado São João Batista caiu na boca de lobo localizada na Avenida Fonseca Almeida, no bairro que leva o mesmo nome, ficando preso pelo eixo dianteiro direito, o incidente trouxe muito susto aos passageiros (alunos, mães, monitora e condutor), porém ninguém ficou ferido, sendo todos acalmados pela monitorada que retirou os alunos e os abrigou debaixo de uma árvore.

Após algumas tentativas em retirar o veículo, o condutor ligou para o sec. de Transporte que veio juntamente com mecânico na retroescavadeira e com o auxílio do um cabo de aço levantou cuidadosamente afrente do ônibus para que o motorista pudesse dar uma marcha ré, tento êxito na operação e sem danificar e sem trazer perigo para os transeuntes, em seguida o veículo seguiu seu itinerário.

Causa do acidente.

O acidente foi causado devido ao estacionamento irregular de uma caminhonete de entrega do próprio mercado que fica em frente e que infelizmente forçou o condutor a passar mais próximo ao meio fio e sem saber que a boca de lobo está quebrada há dois anos, acabou ficando preso. De acordo com a população, a incidência de acidente ali é corriqueira, na semana passada dois automóveis e um caminhão de entrega caíram no mesmo local, eles afirmaram ainda que funcionários da prefeitura recolocaram a grade no lugar e apoiaram com a tampa do bueiro, serviço incorreto como afirmou um engenheiro civil.

O que é mais visto em toda a cidade são irregularidades cometidas pelos próprios munícipes, tais como estacionamentos de veículos na contramão, em cima de calçada, em fila dupla como se isso fosse normal, outra coisa que se tornou normal em Comendador Levy Gasparian é o depósito de material de construção como areia, pedra, tijolo em cima da calçada, além disso o uso do asfalto para traçar massa e concreto, como se o espaço fosse a extensão do quinta, e diga-se de passagem, a maioria das obras não possui certificação de um engenheiro e sem a autorização da prefeitura.

Já passou da hora de haver uma fiscalização mais enérgica e árduo, a população precisa compreender que as calçadas são para o uso do pedestre, que os veículos precisam ser estacionados no sentido da via, que traçar massa e concreto tem que ser dentro do quintal. É preciso que o Poder Executivo através da fiscalização multe, interdite e faça valer o código de postura.