Política

ALERJ atualiza benefícios fiscais para patrocinadores de eventos culturais e esportivos

Publicada em 22/06/22 às 15:05h - 31 visualizações

por Secom: ALERJ


Compartilhe
Compartilhar a notícia ALERJ atualiza benefícios fiscais para patrocinadores de eventos culturais e esportivos  Compartilhar a notícia ALERJ atualiza benefícios fiscais para patrocinadores de eventos culturais e esportivos  Compartilhar a notícia ALERJ atualiza benefícios fiscais para patrocinadores de eventos culturais e esportivos

Link da Notícia:

ALERJ atualiza benefícios fiscais para patrocinadores de eventos culturais e esportivos
A mudança proposta no novo projeto é para incluir a expressão “cada período de apuração” na legislação vigente  (Foto: Secom)

A Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj) aprovou, nesta terça-feira (21/06), em discussão única, o Projeto de Lei 6.050/22, de autoria dos deputados André Ceciliano (PT) e Célia Jordão (PL), que atualiza a legislação tributária referente aos incentivos fiscais para patrocinadores de eventos esportivos e culturais. A medida tem o objetivo de esclarecer conceitos e estabelecer interpretações de modo a garantir segurança jurídica, sem aumentar a renúncia fiscal estadual. O projeto segue para o governador Cláudio Castro, que tem até 15 dias úteis para sancioná-lo ou vetá-lo.O texto altera a Lei 8.266/18. Esta norma garante incentivo fiscal de até 3% do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) a recolher em cada período de apuração para patrocínio de projetos culturais e esportivos, tais como eventos, produções culturais, de autores e intérpretes nacionais, atividades desportivas, projetos socioculturais ou socioesportivos. Em relação ao patrocínio de produções culturais estrangeiras, a alíquota é de 1% (um por cento). A mudança proposta no novo projeto é para incluir a expressão “cada período de apuração” na legislação vigente. Além desta alteração, o novo texto determina que o imposto a recolher é o ICMS próprio, conforme consta na Lei 2.657/96, além de explicitar que em caso de não haver imposto a recolher, a base de cálculo do incentivo será o ICMS incidente na importação e o ICMS incidente na aquisição de ativo fixo e material de consumo, desde que recolhido pelo contribuinte fluminense.“O projeto de lei não traz nenhum aumento de renúncia fiscal. Apenas esclarece conceitos como “período de apuração”, estabelece a utilização quando apurados saldos credores, de modo a não inviabilizar a fruição dos incentivos, e reforça a forma de interpretação que deve ser dada ao ato normativo, que encontra seu fundamento em lei complementar que dispõe sobre normas gerais de direito tributário”, explicou o presidente da Alerj, deputado André Ceciliano.Já a deputada Célia Jordão explicou que a insegurança jurídica afasta os patrocínios de eventos culturais e esportivos. “A norma vai ampliar e possibilitar que os projetos sejam patrocinados. Nós temos o exemplo da minha própria região, da Costa Verde, a FITA, Festival Internacional de Teatro de Angra dos Reis e a Flip, de Paraty, que é uma festa literária”, concluiu.




ATENÇÃO:Os comentários postados abaixo representam a opinião do leitor e não necessariamente do nosso site. Toda responsabilidade das mensagens é do autor da postagem.

Deixe seu comentário!

Nome
Email
Comentário


Insira os caracteres no campo abaixo:








Nosso Whatsapp

 (24) 2254-1261

Visitas: 461402
Usuários Online: 15
Copyright (c) 2022 - Manchete Jornal - Atendimento de segunda a sexta das 8h às 12h e das 13h às 18h.