Ele surgiu como sendo a salvação e a libertação da prepotência e da arrogância que perpetuou durante oito anos no Poder Executivo Gaspariense, fazendo emergir uma das maiores improbabilidades administrativas causada por um gestor até então, e que cominou em um dos maiores rombo no cofre público que percorre desde a falta de pagamento de contratados a calotes em fornecedores, e tudo isso incisivamente feito nas últimas badaladas do mês de dezembro, afirmou o então salvador da ordem gaspariense.

Porém a enxurrada de irregularidades, de tropeços, da falta de compreensão e de visão administrativa, superou o seu antecessor, ou seja, em menos de um ano o atual prefeito deixou transparecer que o cargo que assume vem a sustentar simplesmente o seu “EGO” isto é “SER PREFEITO”, o relato parte de alguns membros da cúpula que foram destituídos do atual governo por não concordar com as atitudes meramente pessoais do chefe do Poder Executivo.

Todos os elementos circundantes dirigidos por alguns secretários somente visa a imputar ações ilustrativas, exemplo esse, visto na obra da Beira Rio onde secretários colocaram a mão na massa alegando que a gestão não possuía finanças suficientes para contratação de mão de obra especializada, pois havia recebi a máquina completamente quebrada, essa medida se estendeu as outras obras e perpetuará até o fim deste triste ano, afirmou pessoas próximas que como a população se surpreendeu com a outra máscara usada após as eleições pelo atual prefeito. 

Se os problemas recaíssem somente sobre a secretaria de obras a população entenderia com veemência, porém todas as pastas sofreram impactos negativos desde 1º de janeiro de 2017, haja vista que as mais infectadas foram “educação e saúde” e está última vem pedindo socorro sucessivamente e nada foi feito para reestruturá-la, muito pelo contrario, vários exames foram cancelados com a Acispes, o número de remédios indisponíveis nas farmácias dos PSF aumentaram assustadoramente relataram os responsáveis e os pacientes que se dirigem as mesmas, até mesmo medicamentos de uso contínuo e básico necessário para o atendimento emergencial não são encontrados, e todas as vezes que há um questionamento a resposta é que o setor de licitação está providenciando a comprar destes.

Outro absurdo incalculável é a determinação para que a equipe do Samu usasse a ambulância para realizar a entregar de cilindros de oxigênios aos pacientes acamados, sobre a alegação de que não há veículos disponíveis para fazer tais tarefas, enquanto isso a unidade que foi improvisada no porão da Clínica fica desprovida da equipe, isso quer dizer que, se um munícipe precisar de atendimento não obterá devido ao desvio de função deste que foi implantada no município para salvar vidas e, diga-se de passagem, o local onde se encontra a unidade do Samu não possui nenhuma infraestrutura adequada, ser quer possui um banheiro, muito menos papel higiênico, de acordo com levantamento feito pela nossa reportagem.

Outro fato que surpreendeu a todos foi os cortes nas horas extras dos funcionários que realmente trabalham, até o almoço e a janta foi suspensa, outra irregularidade citada é a contratação de funcionários que já possui carga horária em outro município, tirando a oportunidade de pessoas que residem no município.

 

A visão errônea do chefe do Executivo chegou ao ponto exonerar um secretário que solicitou a comprar de material para o término de uma obra, este (ex-secretário) ouviu do prefeito que era para ele pedir aos empresários da cidade, são eles que irão se beneficiar com as melhorias.

Os elementos cancerígenos que se instalaram na cidade derramaram sobre os mais humildes a incerteza, o medo, o desespero, a troca da máscara usava durante a campanha eleitoral reflete é apenas a ponto do iceberg afirmou membros cúpula do atual governo que disseram não conhecer este outro lado da moeda, porém o que nos assusta ainda mais é que estamos apenas no primeiro ano, ou seja, ainda há mais três.