A escola do bairro Cantagalo veio buscar mais um título, com o enredo “Miscigenação” – a agremiação mostrou na avenida do samba uma mistura de raças, mesmo sendo um samba usado em carnavais anteriores, porém contado de forma completamente diferente, a agremiação empolgou e surpreendeu em todos os requisitos.

O carnavalesco Gilber Rosa usou a abusou da imaginação, sendo muito feliz em cada detalhe que proporcionou a todos uma avalanche de alegria e de muita emoção, como relatou o público nas arquibancadas, esse termômetro até então não havia sido sentido na avenida, o diretor a escola Gustavo Carvalho conseguiu unir em um único momento uma explosão de alegria e emoção.

Outra grande diferença no momento do desfile foi a empolgação de todos os componentes, cada ala fez a diferença, na precisa nem falar, nos rostos de cada integrante a alegria de cantar de dentro do coração o enredo.

Mais uma vez a vermelho e branco fez a diferença na avenida, pontuou o público que se agitou nas arquibancadas.


Ficha Técnica:

Em 1964, a agremiação do bairro do Cantagalo, já se organizava como bloco de enredo azul e rosa, e em 1972 tornou-se escola de samba com as cores vermelho e branco. Dois anos depois, em 1974 conseguiu seu primeiro título de campeã.

 

Maior detentora de títulos do Carnaval trirriense, atualmente com 15 aos todo, para 2018 a escola vai levar à avenida o enredo “Miscigenação”, que exalta as qualidades, as influências positivas das três raças da formação sócio-cultural do povo brasileiro.

A reedição do enredo “Miscigenação”, que já teve na avenida do samba em 1976 pelo Bambas do Ritmo, vai ser cantada com outros olhos e a historia vai ser recontada pelo carnavalesco Gilber Rosa. Como na sua primeira edição, a escola ficou em segundo lugar, agora os bambinos esperam um final feliz.

Horário: 23H40Min

Fundada: 13 de janeiro de 1964

Cores: Vermelho e Branco (Símbolo da escola – Um Ritmista com um tamborim)

Bairro de origem e Sede: Cantagalo

Número de títulos: 15

Presidente: Gustavo Carvalho

Vice-presidente: Eric Kopke

Enredo e Colocação em 2017: “Vem Brincar” (Tricampeã)

Enredo 2018: “Miscigenação”

Autor do Enredo 2018: Diego Araújo

Carnavalesco: Gilber Rosa

Diretor de Carnaval: Rogéria Bastos

Número aproximado de componentes: 700

Número de carros alegóricos: 4

Número de Alas: 12

Nome da bateria: Puro Ritmo

Mestre de bateria: Manu

Número de Ritmistas na bateria: 75

Rainha da Bateria: Jô Saldanha

Mestre-Sala e Porta-Bandeira: Zé Roberto e Alcione

Coreógrafo da Comissão de Frente: Caíque Bonforte

Diretor de Harmonia: Fabiano Pacheco

Compositores do Samba: Cláudio Mala Veia, Fuga Bandoleiro, Rodrigo, Rodolfo Minuetto, André Ricardo, Alisson Cleffs, Pádua, Fernando Barbosa, Jorge Quintal (TQ), Fábio Barbosa, Guilherme Sá e Alípio Carmo.

Intérpretes: Genê e Pitty de Menezes

Refrão do Samba:

É tanto amor que não tem explicação

Vermelho e Branco é a miscigenação

Comunidade... Feliz de novo!

Eu sou o Bambas, a cara dói povo