Tricolor leva os três pontos do Ba-Vi, encerrado aos 35 minutos do segundo tempo no último domingo, depois de uma confusão generalizada e nove expulsões

Federação Bahia na de Futebol divulgou, na tarde desta segunda-feira, a súmula do clássico Ba-Vi disputado na tarde do último domingo, no Barradão. A partida foi interrompida aos 35 minutos, depois da expulsão de Bruno Bispo, que deixou o Vitória com seis jogadores em campo. Seguindo o que rege o Regulamento Geral de Competições da CBF, a entidade local declarou o Bahia vencedor do confronto pelo placar de 3 a 0.

Na súmula, o árbitro Jaílson Macedo de Freitas relatou que foi interpelado pelos diretores de futebol das duas equipes. Primeiro, por Diego Cerri, do Bahia, que reclamou do primeiro gol do rival. Depois, por Erasmo Damiani, do Vitória, que acusou o árbitro de ter cedido à pressão do dirigente tricolor.

O ábitro relatou o motivo das expulsões de todos os jogadores. Kanu, Denílson, Rhayner, Edson, Rodrigo Becão e Lucas Fonseca foram punidos por conduta violenta. Vinícius levou cartão vermelho por comemorar o gol em frente à torcida do Vitória com gestos obscenos.

Jaílson também relatou a expulsão de Uillian Correia, que recebeu o segundo cartão amarelo após segurar Zé Rafael e impedir ataque do rival, além da de Bruno Bispo, "por retardar o reinício do jogo de forma acintosa e ainda chutando a bola do local da cobrança".

Por fim, Jaílson relata que foi obrigado a encerrar a partida porque o Vitória ficou com menos de sete jogadores em campo. O árbitro registrou, ainda, a invasão a campo de dois torcedores rubro-negros, "sendo os mesmos contidos imediatamente pelo policiamento".