Foi realizada na manhã desta última quinta-feira dia, (06) a Audiência Pública para definir através da vontade dos chiadorenses a restauração da Estação Ferroviária, e colocação do novo piso na Igreja Matriz e Santo Antônio localizada no centro do município.

 

A Audiência Pública contou com a presença da população Católica chiadorense, do prefeito Maurício Barbosa, da Sec. de Educação, Maria da Glória de Mattos Maurício, do Sec. de Turismo, José Laerte Marques Priori, da Presidente do Compachi e Sec. de Cultura, Mônica Reis Fernandes, do Presidente da Câmara Municipal, Ver. Gilmar Xavier, acompanhado do Ver. Emanuel Luiz Ferreira da Silva, e do Advogado da Casa Legislativa, Dr. Roberto Carlos, das Conselheiras Tutelares, do Promotor de Justiça, Júlio Cézar da Comarca de Mar de Espanha.

 

No primeiro momento, a Presidente do Compachi, Mônica Reis Fernandes iniciou a Audiência Pública agradecendo a presença de todo a população, das autoridades dos três poderes: Executivo, Legislativo e Judiciário, que estão se unindo para um em a todos, ou seja, hoje discutiremos o futuro da Estação Ferroviária e da troca do Piso da Igreja Matriz de Sano Antônio, ela justificou que a mesma será divida em dois segmentos para que juntos possamos encontrar e percorrer no mesmo sentido.

 

Em seguida foi passada a palavra para o prefeito Maurício Barbosa que recheou a necessidade de conseguirmos junto a revitalização (reforma completa) da Estação Ferroviária, haja vista que ela, é elemento conciso na cultura da cidade pelo vasto segmento memorial que nos remete aos caminhos do futuro. O prefeito retornou a presidente que concedeu a palavra ao Promotor de Justiça que se colocou alicerçado a população para juntos chegarmos ao consenso que seja melhor a todos. O Promotor explanou sobre o assunto em pauta e convidou a população a se manifestar levantando, ao fim de suas palavras, o Sec. de Turismo José Laerte explicou através de dados quais seriam os benefício que a mesma traria para o município, ele apresentou um vídeo que pontuou como fundamental para que nós chiadorenses lutemos pela reforma da Estação, no vídeo foi apresentado como será o funcionamento do Trem que ligará os Estados de Minas Gerais e Rio de Janeiro, serão mais de 250 quilômetros entre a cidade do Cataguases e do Rio de Janeiro, passando por Três Rios e Chiador, salientou o Secretário, isso consideravelmente trará c crescimento econômico ao Município.

 

Após a apresentação do vídeo, o Promotor perguntou quem deseja que a Estação seja reformada por completo, quando no momento todos sinalizaram que a vontade da população é sem dúvida nenhuma a reforma da Estação Ferroviária, também pelo fato de ele ser a primeira da América Latina, afirmaram vários senhores que ajudaram a descrever a importância que a mesma teve para a formação do município, como foi afirmado pelo Senhor Gerson “Por aqui passou o crescimento do país, por está Estação milhares de vilarejos e cidades nasceram”, afirmou o Senhor Gerson.

 

No segundo momento, a Presidente do Compachi abriu a discussão mais polêmica da Audiência, ou seja, a troca do piso da Igreja Matriz de Santo Antônio, fixada no centro da cidade, este fato levantou polêmica que foi parar na Justiça devido o fato da mesma possuir valor histórico e arquitetônico que se confunde com o período Barroco, porém é eminente e tão necessária que a troca do piso seja feita, primeiro pelo fato de que o que está na mesma está em péssimas condições de uso, o segundo é pela questão que envolveu toda a População Católica que se empenharam em revolver o problema através de festa, rifas, doações em dinheiro, muitos tiveram que parcelar em três vezes o valor, outros doaram mais de um metro e isso foi com muito amor e carinho, salientou o vereador Emanuel Luiz Ferreira da Silva, que propôs ao Promotor uma troca, colocaremos o piso e em contra partida, restauramos o altar dentro dos parâmetros exigidos pelo Ipham, ou pelo Conselho de Cultura, porém o Promotor disse que isso seria inviável, pois isso abriria brecha para outros argumentos. O caso é que todas as propostas enviadas a Promotoria de Justiça não foi aceita.

 

O promotor deu a ideia em vender o piso adquirido e comprar um que seja compatível com as características da Igreja, porém a população não quer aceitar, o Dr. Roberto Carlos usou da palavra e se dirigindo ao Promotor perguntou-o, se o que nós decidirmos seria aceito pela Justiça, o Promotor salientou que tem que ser um piso compatível, imediatamente tanto a população Católica quanto o Advogada da Câmara Municipal, Dr. Roberto Carlos perguntou então para que essa Audiência Pública, pois a mesma tem o teor de se chegar ao consenso da maioria, e o que está sendo visto, é apenas o consenso da Justiça, que não conhece a luta dos paroquianos.

 

Em seguida o Promotor pediu que fosse feita um projeto por um engenheiro ou um arquiteto para se ter um parecer para o caso, então a população Católica aceitou em contratar um especialista, o prefeito Maurício Barbosa se pontificou em fornecer o profissional para resolver o problema. Tanto a Presidente do Compachi, quanto os paroquianos viram um caminho neste propósito.

 

Após chegar-se a primeiro consenso, a Presidente do Compachi agradeceu a todos e em encerrou a Audiência Pública.